Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril 7, 2011

Edição 523 | Ano III

Brasília/DF e Rio de Janeiro/RJ
Futuro presidente da Vale deixou a empresa em 2009 como um desafeto de Agnelli Roger Agnelli sofreu uma dupla derrota no processo que culminou com sua substituição na presidência da Vale: foi obrigado a se render na campanha para permanecer no comando da mineradora e não conseguiu fazer de um de seus aliados o sucessor. Ao contrário, Murilo Ferreira, que assume oficialmente a presidência a partir de 22 de maio, iniciou a gestão Agnelli como um de seus homens de confiança e deixou a Vale como mais um desafeto, depois de um período de desgaste com o executivo, de quem discordou radicalmente da decisão de insistir na aquisição da Xstrata. A compra da mineradora anglo-suíça - que passou a ser tratada por Agnelli quase como uma questão pessoal - acabou não ocorrendo. A Vale se livrou do que seria um péssimo negócio às vésperas da crise global que estourou em agosto de 2008, mas o vínculo entre os dois executivos já havia se desfeito. Depois de um infarto, Ferr…