Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

Edição 589 | Ano IV

Da redação - Brasília / DF
Mercado reduz projeções de avanço do PIB em 2011
O mercado reduziu, pela quarta semana consecutiva, a estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, para 3,29% neste ano. Na semana passada o boletim do Banco Central (BC) apontava para avanço de 3,30%, e há um mês as projeções estavam em 3,51%. Houve também redução nas previsões de crescimento da economia para 2012. A mediana dos analistas consultados pelo BC aponta para avanço de 3,50% no PIB do próximo ano, o que representa recuo após estimativa, há uma semana, de avanço de 3,51% para 2012. Há um mês as projeções apontavam crescimento de 3,70% no próximo ano. Em relação à taxa básica de juros (Selic) as projeções para este ano permaneceram estáveis, pela sétima semana consecutiva, em 11%. Para 2012 a previsão é de Selic a 10,50%, valor que representa estabilidade nas últimas quatro leituras do boletim. Já em relação ao câmbio houve manutenção das estimativas, com dólar a R$ 1,75, nas últ…

Edição 588 | Ano IV

Da redação - Brasília / DF
Governo liberou R$ 15,7 bilhões para Estados
O ministro da Fazenda Guido Mantega, anunciou ontem a tarde, dia 27/10, que o governo autorizou que 10 Estados do país contraiam novos empréstimos com organismos como BNDES - Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social -, CEF - Caixa Econômica Federal -, Banco Mundial e BID - Banco Interamericano de Desenvolvimento - para realizar obras de infraestrutura.
O valor total liberado é de R$ 15,7 bilhões. Segundo Mantega, a medida não interfere na Lei de Responsabilidade Fiscal, mas é um "espaço de crédito" para Estados que têm baixado seu endividamento. Os Estados autorizados são do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Os valores variam entre R$ 228,9 milhões a R$ 2,19 bilhões por Estado. "Isto está em sintonia plena com a política de solidez fiscal do governo federal", afirmou.
Segundo Mantega, esta é a primeira leva de Estados autorizados a contrair os empréstimos. Outras unidades da federação s…